Força e Movimento
inercia

Aristóteles

As relações entre força e movimento sempre foram objeto de estudo desde a antiguidade. O filósofo Aristóteles, por exemplo, analisando estas relações, acreditava que um corpo só poderia permanecer em movimento se existisse uma força atuando sobre ele. Se um Corpo estivesse em repouso e nenhuma força atuasse sobre ele, este corpo permaneceria em repouso. Quando uma força agisse sobre o corpo, ele se poria em movimento, mas, cessando a ação da força, o corpo voltaria ao repouso.

AM

As afirmações de Aristóteles podem parecer corretas à primeira vista, pois, em nossa experiência diária, vemos que os objetos, de um modo geral, só se encontram em movimento quando estão sendo puxados ou empurrados. Um livro empurrado sobre uma mesa, por exemplo, para imediatamente quando se deixa de empurrá-lo.

Durante a idade média, o pensamento de Aristóteles foi harmonizado com a crença cristã e passou a receber o apoio da Igreja. Os problemas de sua física eram alvo de desenvolvimento teórico, mas sem nenhuma ruptura radical com suas ideias gerais.

Galileu

Utilizando uma metodologia de estudo diferente da de Aristóteles, na qual ele aliava a descrição matemática da natureza com experimentos científicos, Galileu pôde se afastar de diversas ideias relacionadas ao pensamento aristotélico.

duas

Capa de Duas Novas Ciências, obra de Galileu na qual ele contestou as ideias de Aristóteles sobre o movimento dos corpos.

Estando uma esfera em repouso sobre uma superfície horizontal, Galileu observou que, empurrando-a com uma certa força, ela entrava em movimento. Entretanto a esfera continuava a se mover, percorrendo uma certa distancia, mesmo depois que ele deixava de empurrá-la. Assim, Galileu verificou que um corpo podia estar em movimento sem a ação de uma foça que o empurrasse.

GM

As figuras A, B e C configuram o aumento no deslocamento em função da diminuição do atrito. Quanto menor for o atrito, menor a resistência à continuidade do movimento, logo, maior será o espaço percorrido pelo corpo.

Repetindo a Experiência, usando uma superfície horizontal mais lisa, ele observou que o corpo percorria uma distância maior após cessar a ação da força. Basenando-se em uma série de experiências semelhantes, Galileu concluiu que o corpo parava, após cessado o empurrão, em virtude da ação do atrito entre a superfície e o corpo, cujo o efeito seria sempre o de retardar o seu movimento.

Assim, se fosse possível eliminar totalmente a ação do atrito, o corpo continuaria a se mover indefinidamente, sem nenhum retardamento, isto é, em movimento retilíneo uniforme.